sexta-feira, junho 11, 2004

São Miguel
Carlos Tê / Rui Veloso

A oeste de finisterra ficam as ilhas perdidas
Disse-me um corso galego que um dia as viu e perdeu
As velhas cartografias também o dizem assim
Como ter fortuna de as achar no mar oceano sem fim?

Vinha um dia das Canárias ao largo com vento a favor
Seguimos o voo das aves que tomamos por açores
Até que ouvi do mastaréu a voz rouca do gajeiro
Terra à vista lá ao longe no meio do nevoeiro

Ó que ilha tão formosa
Pisei ao sair do batel
Dei-lhe então nome de santo
Em dia de São Miguel